Last Updated:
upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c3/Amiga500_system.jpg

Voltar a visitar o Commodore Amiga

Paulo Laureano
Paulo Laureano Emuladores

Há mais de 30 anos que não mexia num Commodore Amiga. Hoje passei o meu dia montar e brincar com um, em versão virtual, utilizando o FS-UAE. Fiquei bem impressionado pelo FS-UAE, em particular com a opção de usar como discos virtuais simples directories do meu Mac... facilita ir buscar coisas à internet, que digamos que os browsers do amiga não são propriamente modernos, editar ficheiros com editores de Mac, etc. A emulação é muito próxima de perfeita.

Workbench 3.1 com os ícones do "Magic workbench" instalados

A configuração é a intencionalmente parecida com o meu último Amiga 4000. Kickstart e Workbench da geração 3.1.x. Com um “fallback” simples para uma configuração de hardware do Amiga 1200, usando os mesmos discos, quando preciso que o processador seja mais lento a correr alguns jogos/demos “mal preparados” processadores mais rápidos.

Instalei o que eram as minhas jóias da coroa: CygnusEd, SAS/C, Devpac, DOpus, AMOS Professional, etc. A que se juntaram o WHDLoad e alguns dos meus jogos preferidos.

A memória é uma coisa lixada. Na minha mente o OS e workbench (3.1.x) eram substancialmente mais evoluídos. Eu achava ambos sensacionais. Não imaginava o choque que ia ter com a tecnologia de há três décadas. É tudo a atirar para o horrível.
Valeu pelo banho de nostalgia e pelos jogos e demos. Mesmo em baixa resolução, com limitações do número de cores no ecran, alguns são verdadeiras obras de arte.

O SAS/C (compilador de c/c++), que eu adorava, envelheceu muito mal. Era óptimo na época, mas os anos a usar ferramentas melhores, fazem com que me pareça uma dor de usar. Escrevi uma boa dúzia de programas e doors para BBS’s em C, e não me recordo de ser tão fraquinho, mas pronto, está visto que o que espero encontrar em ferramentas é hoje muito diferente do que era há trinta anos atrás.

O CygnusEd (editor de texto) que eu achava que era perfeito, não me impressiona da mesma forma, mas matei as saudades do sistema de macros, que é ainda hoje o melhor que vi na vida.

Instalei o AMOS Professional. Em que fiz dois jogos, nos anos da minha adolescência, e só de olhar para o interface (uma pessegada que não tem nada a ver com a UI do amiga, nem com nada que me pareça “familiar”) fiquei nauseado. Horrível, mesmo muito mau no que respeita a interface.

A magnífica surpresa é mesmo o WHDLoad, de que já beneficiava no retropie, mas há algo de verdadeiramente mágico em ver os jogos que me obrigavam a fazer reboots ao Amiga a partir de diskettes instalados no hard disk. Adorei. Não é perfeito, alguns jogos mais antigos ainda é preferivel usar um A500 virtual para a emulação, mas está extraordinário.

Foi uma tarde bem passada. Fiquei cheio de vontade de revisitar uma série de jogos, algo que farei seguramente no futuro próximo.

Para comprar as ROM's e Workbench (todas as versões): https://www.amigaforever.com/